Bem-vindo ao CEBI! (51) 3568-2560 | [email protected]

CEBI-MS “Sonhar, sonhar, realizar e celebrar”: Sobre Juventudes e fé

CEBI-MS “Sonhar, sonhar, realizar e celebrar”: Sobre Juventudes e fé
16 de junho de 2017 Centro de Estudos Bíblicos
CEBI-MS

Em um final de semana de muito frio, porém iluminado com um lindo sol, amarelinho destas terras guaranis, uma juventude diversa, cheia de vida e energia se reuniu para refletir o tema “Democracia na liberdade de fé”. Entre essa diversidade estavam jovens cristãos/ãs, agnósticos/as, espíritas, jovens sem nenhuma denominação religiosa e jovens da cultura Guarani Kaiowá, onde puderam se encontrar para compartilhar experiências e esticar novos horizontes.

Com a facilitação dos jovens Marisa (CEBI-MS) e Jonathan (CEBI-MG), a juventude foi convidada a (re)pensar sobre os diversos tipos de intolerâncias que existem em nossa sociedade e descobrir caminhos de diálogo em tempos tão obscuros que estamos vivendo.

No domingo, os/as jovens puderam partilhar sobre as vezes que se sentem reprimidos/as ou silenciados/as por pessoas que estejam em alguma posição “superior”, sejam educadores ou familiares: pensam de maneira diferente e acabam sofrendo perseguição. Esse tipo de repressão se dá nas escolas e em outros meios sociais.

No debate, foi discutida a importância desses/as jovens não se calarem, sendo autores/as de sua própria história.

O texto de Atos dos Apóstolos 17,14-34 (a chegada de Paulo em Atenas) foi aprofundando através do Método da Leitura Feminista da Bíblia voltado a uma hermenêutica juvenil. Os grupos puderam dialogar sobre o texto, pensando em algumas questões como: que memórias o texto evoca? Que suspeitas levanto na desconstrução do texto? Quais perguntas faço para o texto, enquanto jovem? Na reconstrução, imagens congeladas, preparadas em grupo, ajudaram a trazer o texto para os dias de hoje.

O final do encontro foi o momento de sonhar, realizar e celebrar. Embalado/a pela dança circular, cada jovem foi convidado/a a comer um sonho em troca de algum sonho que fosse coletivo. Foi um momento lindo de partilha de sonhos, cada participante pode colocar seu sonho na coletividade, desejando coisas boas: o sonho de um mundo melhor, com menos intolerância, mais amor, respeito e dignidade e unidade na diversidade.

Embalados/as nos sonhos, tivemos um momento de encerramento podendo participar da intervenção artística de grafite do artista Senkapuz. Tivemos a oportunidade de colocar todos os nossos sonhos juntos à arte que ele construiu para a juventude, Na oportunidade, ele também lançou seu Rap da Casa Comum.