Bem-vindo ao CEBI! (51) 3568-2560 | [email protected]

CEBI-AM: 14º Eclesial pela voz de Diego Aguiar

CEBI-AM: 14º Eclesial pela voz de Diego Aguiar
29 de Janeiro de 2018 Centro de Estudos Bíblicos
Confira o depoimento de Diego Aguiar do CEBI Amazonas sobre o 14º Intereclesial das Comunidades Eclesiais de Base (CEB´s).

Sobre o que vi e vivi no 14º Intereclesial das Comunidades Eclesiais de Base (CEB’s) em Londrina/PR:

Durante os dias 23 a 27 de janeiro de 2018, participei pela primeira vez do Intereclesial das CEB´s. Uma experiência muito marcante que levarei para toda a vida. Enquanto jovem, cristão, pude estar perto de pessoas que mesmo com realidades tão diversas, comungam da mesma fé e do mesmo projeto de vida e justiça, o Reino de Deus. A presença do Cristo ressuscitado foi e é a força que anima as CEB’s na sua luta cotidiana. Nos dias atuais, os desafios do mundo urbano requerem tenhamos um projeto alternativo de vida que valorizem a diversidade dos povos e culturas.

Mais do que conhecer as CEB’s, reconhecer-se como CEB’s foi algo que me fez rever toda a minha trajetória e reafirmar a identidade de fazer parte de comunidade que faz uma opção preferencial pelos pobres, que é animada pela Leitura Popular de Bíblia e que assume o compromisso pela causa do Reino, que tem como centro a vida.

Ver

VER a realidade ajudou-me a compreender que somos chamados a estar sempre atentos aos acontecimentos, incomodados com as situações que não fazem parte dos planos do Reino e a fazer memória daqueles e daquelas que dedicaram a sua vida para que pudéssemos viver com mais dignidade.

A luta pela moradia, pela mobilidade, pelo trabalho, pelo  reconhecimento do pluralismo religioso, pela vida das juventudes, pela ecologia, pelo direito ao saneamento básico, pelo direito à comunicação, pela segurança, pela educação de qualidade e pela participação da cultura e lazer estão completamente interligados e requerem de nós ações concretas, mas do que incômodo e meras palavras.

Julgar

JULGAR a realidade à luz da Palavra é permitir que o próprio Deus se aproxime do seu povo, sofrido pelos embates, mas com a esperança da libertação. É fazer a experiência de um Deus que não se cala e nem é omisso ao sofrimento do seu povo, que não fecha seus olhos e ouvidos, porém desce para libertá-los. E a ação de Deus também passa pelas nossas ações, pelos nossos gestos concretos, pelas mãos abertas preocupadas mais em dar do que em receber. Paulo de Tarso é um modelo de anunciador de Jesus em meio aos desafios do mundo urbano, sem retirar os pés do chão da realidade.

Agir

AGIR em conformidade com a proposta de Jesus é incomodar. É apostar na utopia de um mundo novo, relações novas, ser gente nova que não luta sozinha, mas em comunidade. É bater de frente com interesses contrários à vida e favoráveis ao lucro. É quebrar paradigmas, vestir e suar a camisa que levou Jesus à experiência da cruz e à força da ressurreição. É deixar-se inundar pela experiência de um Outro que reconhece a nossa pequenez e nos faz fortes, mesmo sendo fracos. O Intereclesial ajudou-me a reconhecer que o conflito faz parte da transformação e que não estamos isentos de calúnias, difamações. Quanto mais nos aproximamos de Jesus, mas unimos nossa vida à dele, que foi condenado, humilhado, porém reconhecido pelo amor que permeou suas ações.

Saio com mais perguntas que respostas, com o coração agradecido pelas pessoas que ali encontrei, com os laços que fortaleci, com os abraços que dei e recebi, com os olhares de esperança que troquei com o povo que não faz distinção de fé e vida. Já com saudade do povo de Londrina, que me acolheu com braços abertos.

Não se pode perder a esperança mediante a frágil situação que se encontra nosso país, em meio à crise econômica, política e social, que só reflete um sistema que não se importa com o povo, só com seus próprios interesses.

A caminhada se faz caminhando, há muito a se fazer. É preciso deixar Deus agir. E ser reconhecido pelo seu povo. Nos vemos no próximo Intereclesial, até logo!
“Somos gente nova, vivendo a união, somos povo, semente de uma nova nação…
Somos gente nova vivendo o amor, somos comunidade, povo do Senhor!”

Fonte: Partilhado por Diego Aguiar da Arquidiocese de Manaus.